Receitas

Preparar uma poção de ayahuasca é uma tarefa difícil que normalmente demora bastante tempo, e requer paciência e cuidado. Para aqueles que apesar disso estão a considerar a hipótese, indicamos aqui alguns métodos de preparação para teres uma ideia sobre o que involve a preparação da poção.

NATEMA RECEITA DO SHUAR

Os xamãs do Shuar (uwishin) dividem um tronco de ayahuasca (Banisteriopsis caapi) em pequenas tiras. Colocam as tiras numa panela juntamente com vários litros de água. Depois juntam-lhes folhas de chaliponga (Diplopterys cabrerana), uma espécie do género Herrania, Ilex guayusa, bananeira do mato (Heliconia stricta), e uma espécie indefenida da família Malpighiaceae, conhecida como mukuyasku. A mistura resultante é cozida até que a maior parte da água tenha evaporado e reste um fluído tipo xarope. Os povos Kamsá, Inga, e Secoya fazem preparações semelhantes.

RECEITA COM PLANTA DE AYAHUASCA ( BANISTERIOPSIS CAAPI ) E JUREMA-PRETA (MIMOSA HOSTILIS) – POR UM MEMBRO ANÓNIMO DO FÓRUM DO EROWID

O uso da planta de ayahuasca ( Banisteriopsis caapi ) nesta receita baseia-se na premissa que a) a poção tradicional sul americana é preparada com a planta de ayahuasca e com (normalmente) chacrona (Psychotria viridis) b) a planta de ayahuasca é particularmente importante pois tradicionalmente esta planta é considerada a própria “ayahuasca”, enquanto que as plantas que contêm DMT são apenas ajudantes, e c) a planta de ayahuasca e a experiência que ela proporciona são mais suaves, mais seguras, e mais “sábias” do que a planta arruda síria (Peganum harmala) e os seus efeitos. A planta de ayahuasca é menos imprevisível e mais controlável, e um “ professor” mais conhecedor e de maior confiança.

Após examinares as tuas intenções, investigares, e seguires a dieta necessária, junta:

  • 50 gramas de planta de ayahuasca (inteira, não cortada nem em pó)
  • 12 gramas de caule de raiz de jurema-preta (não cortada nem em pó). [Vê nota 1]
  • vinagre branco
  • água destilada
  • 4 panelas de aço inoxidável [Vê nota 2]

Passos

  1. Embrulha a planta de ayahuasca numa toalha e parte-a com um martelo até estar aos pedaços. Pulveriza a jurema-preta com um moedor de café ou desfá-la em pedaços manualmente.
  2. Numa panela, coloca a jurema-preta, uma colher de chá de vinagre, e cerca de um litro de água.
  3. Noutra panela, coloca a planta de ayahuasca, e uma quantidade semelhante de água e de vinagre.
  4. Deixa ferver em lume brando 2 a 3 horas ou até o nível da água baixar. Evita que ferva ao ponto de ebulição, o melhor é estar abaixo desse ponto, sem borbulhar. Conta as tuas intenções à poção enquanto ela fermenta; escuta os sons que faz. Não a deixes sozinha; se precisares de fazer qualquer outra coisa, apaga o lume.
  5. Mantendo a jurema-preta e a planta de ayahuasca separadas, coa cada uma através de um pano (por exemplo uma t-shirt) até a poção aclarar, cerca de 4 ou 5 vezes. (Um excelente método para coar facilmente é colar uma t-shirt com fita-cola por cima duma panela vazia, para que tenhas ambas as mãos desimpedidas para despejares a poção. A t-shirt entupirá rapidamente, por isso para cada filtragem deves usar uma parte nova do pano). Coloca o chá de jurema-preta numa panela, e o da planta de ayahuasca noutra panela, e reduz ambas ao lume novamente: lembra-te de não deixá-las borbulhar.
  6. Repete os passos 2 a 5 três vezes, mantendo sempre a jurema-preta e a planta de ayahuasca separadas. As plantas devem ser fervidas no total três vezes com água e vinagre novos de cada vez; o chá da poção filtrado deve ser mantido separado e reduzido em lume brando quando fizeres a segunda e a terceira filtragens. Este método requer quatro panelas, a não ser que prolongues as filtragens por várias noites.
  7. Por esta altura terás uma panela com as três filtragens de jurema-preta, reduzida, e o mesmo para a planta de ayahuasca. Cada dose não deverá ser mais pequena que meia chávena, e não maior que uma chávena. (Poções menos concentradas sabem melhor, mas terás de beber mais). Coloca-as no frigorífico durante a noite.
  8. No dia seguinte, retira cuidadosamente do frigorífico a jurema-preta arrefecida. Filtra novamente o líquido através de uma t-shirt; evita perturbar as borras pousadas no fundo do recipiente. Não precisas desse rezíduo. NÃO faças isto à poção da planta de ayahuasca reduzida; se a coaste bem, o teu chá deve estar bastante limpo. Deve tornar-se claro quando aquecido, e ter uma cor purpúrea, parecida com a do vinho tinto.
  9. Assim que tiveres feito isto, podes escolher entre misturar os chás de jurema-preta e da planta de ayahuasca, ou beber a jurema-preta depois da ayahuasca. Agita o chá de ayahuasca para te certificares que os rezíduos estão misturados no chá em vez de permanecerem no fundo do recipiente. Aquece o chá, bebe-o quente.

Sugere-se que se preparem duas doses para cada pessoa. Se não conseguires manter o chá no estômago e vomitares prematuramente, terás de beber outra chávena.

Agradece a experiência, aconteça o que acontecer. Há sempre lições a aprender, quer funcione quer não, quer tenhas uma “boa” ou “má” trip.

Esta receita é um pouco mais complexa que outras preparadas com arruda síria, mas vale a pena usar a verdadeira planta da ayahuasca em vez da arruda síria. É um pouco mais cara, mas vale o teu dinheiro; mesmo com a planta de ayahuasca, uma dose custará menos que muitas outras substâncias alucinógenas.

  • Nota 1 – podes usar 50 gramas de folhas de chacrona (Psychotria viridis) em vez de jurema-preta. Se seguires esta receita, as filtragens completas devem ser colocadas num recipiente ou numa panela dentro do frigorífico até ao dia seguinte, em vez de serem reduzidas imediatamente.
  • Nota 2 – Certifica-te que as tuas panelas são de aço – não de alumínio e NUNCA de Teflon. Após terminares uma filtragem (passo 5), podes reduzir o chá enquanto fazes as filtragens que faltam; no entanto, se não tiveres quatro panelas, podes fazer tudo numa só panela. A planta de ayahuasca e a jurema-preta podem ser misturadas numa só panela durante os processos de cozedura e redução. Se o fizeres assim, deves prolongar a cozedura por várias noites; a redução deve ser feita APÓS o sedimento repousar durante a noite, no frigorífico, como indicado no passo 8. Podes reduzir a jurema-preta e depois deitar o sedimento após o repouso no frigorífico sem que isto afecte a qualidade do teu chá; não podes fazer isto com o chá da planta de ayahuasca.

OUTRA RECEITA

Esta receita circula na internet e foi provavelmente desenvolvida a partir de receitas usadas no Equador e no norte do Perú.

  • 50 gramas frescas de planta de ayahuasca (B. caapi) por pessoa.
  • 85 gramas de folhas de chacrona (P. viridis) por pessoa. A planta da ayahusaca (B. caapi) é completamente desfeita e colocada entre camadas alternantes de folhas de chacrona numa panela de barro ou de aço inoxidável, cobrindo depois com água. A poção é cozida em lume brando durante 4 horas.
  • O líquido é coado e recolhido.
  • Usando a mesma planta, a panela é novamente cheia com água fresca, e colocada em lume brando durante mais 4 horas.
  • O líquido é novamente coado e recolhido. A planta agora pode deitar-se fora.
  • Ambas as quantidades de líquido são misturadas e fervidas em lume brando para concentrar a ayahuasca, até que reste uma quantidade manejável para cada dose.
  • Durante a evaporação e concentração, deves ter o cuidado de não deixar a ayahusaca ferver demasiado alto, pois isto causará a degradação dos ingredientes activos e também a caramelização dos açúcares contidos, resultando numa poção final muito espessa.