Quase fatalidade – excerto de uma experiência perigosa

Substância tomada: 4 gr de arruda síria, 14 gr de jurema-preta.

Enquanto os efeitos da droga começaram a surgir nos outros de modo normal, S tinha ar de quem estava a ter uma má trip. Ela disse que algo não estava bem, mas não conseguia exprimir-se claramente. Começou a queixar-se mais e mais sobre algo que não estava bem, até que se levantou e começou a correr pelo quarto aos gritos. O supervisor da trip e outra pessoa que estava sóbria acreditaram que ela estava a ter uma má trip, e por isso levaram-na para um sítio a sós e tentaram acalmá-la. Isto foi eficaz por curtos espaços de tempo, e o pânico voltava sempre. Chegou ao ponto de ela se atirar para o chão, a bater e a gritar “estou a morrer”, quando a polícia e a ambulância foram chamadas. Foram precisos dois homens de 70 quilos para a segurarem para evitar que ela se magoasse, e 6 paramédicos.

Quando chegaram, os paramédicos foram informados sobre o que estava a acontecer. Eles deram sedativos à S, e levaram-na para o hospital depois de a terem amarrado à maca. Informaram-na depois que parou de respirar por 3 minutos no hospital, e que poderia ter morrido facilmente. Os médicos disseram-lhe que ela teve uma reacção alérgica a algo na poção, e que tinha entrado em choque anafilático devido a isso. A única coisa que ela se lembra é de sentir que não conseguia respirar no princípio, quando começou a queixar-se de que algo não estava bem.

Este relatório serve de aviso sério a quem considerar o uso de mimosahuasca (preparada com jurema-preta), e contra a filosofia de que « aguentar » uma má trip é uma boa solução. Se alguém insistir determinadamente que algo está mal, por amor de deus levem-no ao hospital. Peço a toda a gente que leia este relatório para ter muito cuidado quando pensar em tomar substâncias psicadélicas. Se este caso tivesse acontecido durante um acampamento, ou se a pessoa estivesse sozinha, não se poderia ter feito muito para lhe salvar a vida. Já me chatearam muito devido ao facto da experiência ter sido feita num dormitório, mas lembro mais uma vez os meus leitores que embora ela tenha tido uma experiência aterradora, ela não teve uma « má trip ». Ela teve uma reacção física, alérgica, à poção, que fez com que os pulmões dela restringissem a passagem do ar, e com que o corpo dela quase morresse.